Buscar
  • Michel Mansur

O PERIGO DA MASCULINIDADE TÓXICA

Ser homem nem sempre é uma tarefa fácil, não sob uma perspectiva de vítimas sociais, pelo contrário, temos que considerar a ideia de que somos nós os membros construtores desse sistema social. Nós alimentamos o monstro que nos engole. Sei que muitos homens falarão que eu estou sendo chato, mas é evidente, ser homem e não seguir determinados padrões não é algo nenhum pouco confortável.





Minhas amigas me dirão que estou exagerando, falarão da essência machista da sociedade que momentos favorece os homens e tudo mais, mas calma, eu concordo com vocês em tudo isso. O que quero explorar aqui é o padrão social criado por esse sistema, que exige muito de todos nós, homens ou mulheres, para as mulheres ele é uma ferramenta de opressão social, para nós é uma forma de massacre emocional e obrigação moral.


Desde quando me conheço por gente lembro de ouvir de forma pejorativa frases como: “Vira homem”, “Isso não é coisa de homem”, “Isso é coisa de gay”, entre outras coisas. Somos condicionados e treinados para pensar, andar e agir de determinadas formas sem questionar. Sermos brutos e ríspidos, transformarmos as relações e as mulheres em objetos, ignorarmos qualquer resposta emocional, todas essas coisas são sinais de masculinidade.


Por que acha que a maioria das pessoas que eu já atendi em clínica eram mulheres? Porque elas são ensinadas a lidar com as suas emoções, admitir que estão erradas e que podem buscar ajuda. Nós, homens, somos ensinados que precisamos ser duros, fortes e suportar o que vier no caminho, nessa jornada isso irá nos custar nossa saúde física e mental. Por que acha que a maior parte dos suicídios são cometidos por homens? Por que eles são mais fortes que as mulheres?


Ao longo de nossas vidas precisamos aprender como um homem faz as coisas, tudo o que um legitimo macho alfa deve fazer, como nos comportar e como falar. Às vezes olho os homens a minha volta interagindo e me lembro de tribos primitivas, uma tentativa desesperada de mostrar um para o outro quem é mais másculo, seja através de conquistas financeiras ou o maior número de mulheres possíveis. Por que um homem de verdade é capaz de ter a mulher que quiser e dar tudo o que ela precisa, não é?


Ao fugir desses padrões você enfrenta olhares estranhos e comentários sussurrados pelos cantos, se você não é o cara que tenta pegar todas as mulheres que conhece ou qualquer uma que venha falar com você, você é gay. Não liga para carros, futebol ou demonstrações gratuitas de violência? Você é bicha. Você não pode chorar e não pode sorrir demais também, homem é sério, postura! Fale igual homem! Se vista igual homem! Meu amigo, sinceramente, a masculinidade é mais frágil do que parece, precisamos provar tanto o quanto somos machos que na verdade parecemos duvidar da nossa própria convicção.


Esse recado aqui vai para as mulheres, prestem atenção em suas palavras e suas ações, muitas vezes estão tão inseridas nesse meio que nem percebem, mas alimentam esse padrão do macho. Quantas vezes eu vi mulheres serem as primeiras a julgar qualquer homem que não siga esses padrões, comentando umas com as outras: “Homem tem que fazer isso, é papel dele”, “o homem tem que vir falar comigo”, “o que os homens vão pensar de você?”. Nós não temos que fazer nada e nem vocês, ninguém é obrigado a nada.


Não importa o que os homens vão pensar, na verdade, não importa nem o que vocês pensarão sobre nós. Se libertem dessa ideia de uma sociedade onde vocês precisam cumprir papeis femininos e nós papeis masculinos antiquados e engessados, por favor, nos libertem também dessa obrigação com vocês.


Meu amigo homem, entenda de uma vez por todas, essa masculinidade não é uma prova de heterossexualidade ou superioridade, ela só é tóxica mesmo. Pare de alimentar esses padrões, aprenda que você também tem sentimentos, querendo ou não, eles te afetarão de alguma forma, quanto mais você ignorar que essas coisas existem, mais você vai pagar o preço disso no futuro, sua mente desconta no seu corpo e na sua vida os problemas que você simplesmente ignora.


Precisamos entender que não responder aos padrões de masculinidade absoluta pode ser a única saída para sermos nós mesmos e saudáveis. Por favor, outra coisa, ser gay não é um problema e nem uma ofensa, digo isso como um heterossexual que é visto como homossexual com frequência, pelo simples fato de não corresponder a maioria dos padrões que citei acima.


Entenda que fui criado nesse meio também, ouvi muitas coisas sobre como deveria agir e pensar, tive que lutar para me libertar do peso de muitas delas. Em muitos momentos esses “aprendizados sociais” custaram minha tranquilidade, minha liberdade e saúde mental. Até que eu descobri que eu sou eu, sou único e diferente em minha individualidade, nunca conseguirei seguir um padrão específico baseado em alguém ou alguma coisa que não sou eu.


Parem de ignorar que nós precisamos mudar e lutar contra essa ideia tóxica de homem cheia de obrigações, onde tentam colocar todos nós dentro de caixas, dizendo o que temos que gostar, o que podemos ou não fazer, até que ponto podemos sentir as coisas. Enquanto não rompermos essas ideias disfuncionais, nós seremos as maiores vítimas de violência, doenças que poderiam ser evitadas e principalmente, suicídio. Podemos ser muito fortes durante algum tempo, mas não conseguimos ser fortes o tempo todo.

0 visualização

Rua Delfim Moreira, 463

Sala 5 - Centro

Varginha-MG

  • Instagram
  • Facebook

Telefone e Whatsapp:

(35) 98899-0373

michelmansurpsicologia@gmail.com

© 2019 por Michel Mansur - Psicologia & Psicoterapia